Formada em Música pela UNESP e tendo aperfeiçoado-se com Leilah Farah e Neyde Thomas, a soprano brasileira radicada na Itália, Tatiana Aguiar, obteve o Diploma de Mestrado no Conservatório “A. Buzzolla” de Adria (Itália) com o Voto Máximo e Louvor. Participou de diversos Masterclasses como os de Silvia Sass, Mara Zampieri, Mariella Devia, Luciana Serra, Bernadette Manca di Nissa e Gertrud Ottenthal. Integrou o Opera Studio Mazzaroppi (São Paulo), a Accademia di Alto Perfezionamento per Cantanti Lirici Excelsior (Pescara) e a Accademia di Montegral (Lucca). O seu jovem talento foi reconhecido com o I Prêmio Absoluto no “VII Concurso de Canto Maria Callas” e no “Concurso Aldo Baldin. Na Itália vem premiada com o III Prêmio no “Concurso Lírico Internacional E. Segattini” e il I Prêmio no Concurso Internacional Gianluca Ricci. Venceu o III Prêmio no XIV Concurso Internacional “Ciudad de Trujillo” no Peru. Foi também finalista na XVI edição do conceituado Concurso Internacional “Riccardo Zandonai”. Debutou aos vinte e três anos de idade nas Vesperais Líricas do Theatro Municipal de São Paulo como Mme. Herz no singspiel “O EMPRESÁRIO”de Mozart. Foi também Belinda no DIDO E ENEAS de Purcell no Teatro São Pedro de São Paulo, onde voltou no papel de Valencienne na A VIÚVA ALEGRE de Lehar, Gilda no RIGOLETTO de Verdi e Lucia na LUCIA DI LAMMERMOOR de Donizetti; LAKMÉ na ópera homônima de Delibes no Theatro Municipal de São Paulo; Violetta na LA TRAVIATA no Palácio de Cristal em Petrópolis; Norina no DON PASQUALE para o Teatro Carlos Gomes do Rio de Janeiro; Rainha da Noite da FLAUTA MÁGICA de Mozart para a Sala São Paulo, para o Teatro do CIC em Florianópolis, para o Teatro da Universidade de Caxias do Sul e para o Museu Imperial de Petrópolis; Musetta de LA BOHEME de Puccini para o Teatro Comunale de Adria (Rovigo) e para o Teatro Guaíra de Curitiba onde voltou protagonista no papel de Serpina da LA SERVA PADRONA de Pergolesi e Gilda em RIGOLETTO de Verdi. Interpretou Micaela na CARMEN de Bizet para o Teatro della Regina di Cattolica (Rimini), Rosa no LITTLE SWEEP de Britten no Teatro Malibran de Venezia, Lucy no TELEFONE de G. Menotti para o Teatro Verdi de Buscoldo (Mantova) e Blumenmädchen (doppione) na ópera PARSIFAL de Wagner durante o Tiroler Festspiele (Erl, Áustria). Como soprano solista se apresentou também no CARMINA BURANA de C. Orff no Teatro São Pedro, no REQUIEM de Mozart na Escola Rudolf Steiner, no PULCINELLA de Stravinsky na Sala Olido e nos CEUs de São Paulo, na MISSA IN G de Schubert em Mogi das Cruzes, no GLORIA e no MAGNIFICAT de Vivaldi em Verona, na primeira execução mundial da MESSA AD VENERATIONEM de Paul Engel no Tiroler Festpiele na Áustria e na CANTATA N° 39 de Johann Sebastian Bach em Padova e Bose. Em 2012 foi Violetta Valery na LA TRAVIATA para o Teatro Don Bosco de Pavia e Bionda na versão italiana de Pietro Lichtenthal do RAPTO DO SERRALHO de Mozart no Teatro Olimpico di Vicenza. Colaborou com regentes como D. Anselmi, G. Fasano, T. Gagliardo, J. M. Galindo, G. Kuhn, M. P. Marchand, E. Patarra, G.B. Rigon e A. Sangiorgi e diretores cênicos como F. Esposito, A. Heller, R. Innocente, M.Pezzutti, N. Matteucci, M. di Mattia, B. Morassi, W. Neiva, A. Petris e R. Trevisan. Com o pianista Alberto Boischio forma o Duo Acalanto che se dedica à divulgação da Música de Câmara Sul-americana.